quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Disgrafia


Segundo Ajuriaguerra, 1980,denomina-se de disgrafia a incapacidade do indivíduo produzir uma escrita culturalmente aceitável, apesar de possuir nível intelectual adequado, receber a devida instrução e ser submetido ao mesmo processo de prática da escrita no decorrer de sua formação acadêmica.

A disgrafia é também chamada de letra feia. Isso acontece devido a uma incapacidade de recordar a grafia da letra. Ao tentar recordar este grafismo escreve muito lentamente o que acaba unindo inadequadamente as letras, tornando a letra ilegível.

Será uma disgrafia quando não haja nenhum distúrbio neurológico que a justifique, pois a disgrafia não está associada a nenhum tipo de comprometimento intelectual.

Em relação à classificação, em geral, considera-se que a disgrafia pode ser adquirida por resultado da perda de habilidades anteriormente adquiridas e de desenvolvimento, resultando no desenvolvimento anormal da habilidade de escrever.

As características clínicas da disgrafia são:

Comuns dificuldades para escrever;
Produção escrita marcada por mistura de letras (maiúsculas e minúsculas e/ou letras bastão com letra cursiva);
Traçado de letra ininteligível;
Traçado de letra incompleto;
Dificuldade para realizar cópias e falta de respeito à margem do caderno

Algumas crianças com disgrafia possuem também uma disortografia, amontoando letras para esconder os erros ortográficos, entretanto, não são todos os disgráficos que possuem disortografia.

O tratamento requer uma estimulação linguística global e um atendimento individualizado complementar à escola. 

Os pais e professores devem evitar repreender a criança. Reforçar o aluno de forma positiva sempre que conseguir realizar uma conquista. 

Na avaliação escolar dar mais ênfase à expressão oral e por fim, conscientizar o aluno de seu problema e ajudá-lo de forma positiva.

REFERÊNCIAS
Ajuriaguerra J. Manual psiquiatria infantil. São Paulo: Masson do Brasil; 1980. 952p.
Rodrigues, Sônia das Dores, Castro, Maria José Martins Gomes de and Ciasca, Sylvia Maria Relação entre indícios de disgrafia funcional e desempenho acadêmico. Rev. CEFAC, Jun 2009, vol.11, no. 2, p.221-227. ISSN 1516-1846

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é um incentivo.
Obrigada!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...